Artes de Março revive o Tropicalismo nos seus 15 anos

Consagrado como o principal festival de arte e cultura de Teresina, o Artes de Março, realizado anualmente pelo Teresina Shopping, chega a mais uma edição. Mais do que um evento que leva música, dança, entretenimento, exposições, bate-papos e agora cinema de forma gratuita e acessível à população, o Artes de Março traz à tona, a cada ano, um movimento da nossa cultura ou homenageia um dos nossos grandes ícones da música popular brasileira. E para comemorar os seus 15 anos, o festival relembra e celebra, de 8 a 30 de março, um dos principais movimentos culturais da década de 60, o Tropicalismo.

Também conhecido como Tropicália, o Tropicalismo foi um movimento musical surgido no final da década de 1960, mais precisamente em 1967, quando a TV Record realizou o Festival de Música Popular, que atingiu ainda outras esferas culturais, como as artes plásticas, o cinema e a poesia. Na época, o movimento inovou por possibilitar um sincretismo entre vários estilos musicais como, por exemplo, rock, bossa nova, baião, samba, bolero, entre outros, contribuindo para uma modernização da música popular brasileira. As letras das músicas possuíam um tom poético, elaborando críticas sociais e abordando temas do cotidiano de uma forma inovadora e criativa. Tem como principais representantes: Caetano Veloso, Gilberto Gil, Os Mutantes, Torquato Neto, Tom Zé, Jorge Ben Jor, Gal Costa e Maria Bethânia.

Dessa forma, neste ano, o Artes de Março tem o importante papel de reviver uma das principais épocas da cultura brasileira. E para alcançar uma máxima autenticidade do movimento, as atrações foram cuidadosamente escolhidas. Logo na abertura, dia 8 de março, quem sobe ao “Palco Sem Fronteiras” para abrir o festival é Arnaldo Antunes, um dos principais representantes da música popular brasileira.

Dono de uma performance variada, Arnaldo já esteve envolvido com importantes grupos brasileiros, como Titãs e Tribalistas, e suas músicas já foram gravadas por grandes nomes, inclusive da Tropicália, como Gilberto Gil, Jorge Ben Jor, Maria Bethânia e Gal Costa. Na noite de abertura do Artes de Março, o artista promete uma homenagem ao dia internacional da mulher.

Nos dias seguintes, o Festival continua com grandes atrações locais e nacionais e divide-se em duas semanas especiais. Em um primeiro momento, de 10 a 16 de março, o Artes de Março homenageia um dos mentores do Movimento Tropicalista, o piauiense Torquato Neto, que neste ano completaria 70 anos. Na “Semana Torquato Neto”, prestam tributo ao nosso “Anjo Torto” o grupo piauiense Validuaté, a cantora nacional Ana Canãs, o Grupo de Teatro do Le Ballet Studio de Dança, o cantor Teófilo e a Orquestra Sinfônica de Teresina.

Já no segundo momento, denominado “Semana Tropicália”, que acontece de 17 a 23 de março, quem participa é o jornalista Paulo José Cunha, que comanda um painel sobre a “Vida e obra de Torquato Neto”, além das atrações locais Audioteipe, o Espetáculo Geléia Geral, Luana Campos & Ostiga Jr. com uma apresentação especial, e, para fechar o Festival, em grande estilo, o grupo nacional Os Mutantes.

Uma preocupação constante do Festival é dar oportunidade e evidência a atrações locais para que possam mostrar todo o talento e potencial em termo de música de qualidade e interpretações impecáveis. O público do Artes de Março poderá contar com grandes grupos e cantores da terra, que também irão mostrar porque o Tropicalismo é um marco da cultura brasileira.

Além disso, a programação do Artes de Março deste ano inclui exposição sobre o Tropicalismo e uma novidade, sessões especiais nos cinemas. As exposições vão abranger fotos, gravuras, photoshop, pinturas de grandes artistas e acervos pessoais e de instituições que retratam a Tropicália, além da vida e obra de Torquato Neto.

Ao longo de todos esses anos de Artes de Marços, nomes de peso já foram homenageados e importantes temas abordados, trazendo a Teresina artistas e bandas, como Wanda Sá, Os Cariocas, Maria Creuza, Quarteto em Cy, Georgiana de Morais, Waldonys, Falamansa, Tulipa Ruiz, Clã Brasil, Sivuca, Tavinho Moura, Tetê Spíndola, Dominguinhos, Renato Teixeira, Paulo Moura, Edson Cordeiro, Altamiro Garrilho, Yamandu Costa, Boca Livre, MPB-4, Itamara Koorax, Sebastião Tapajós, Wagner Tiso, Lô Borges, Zé da Velha, Renato Borghetti, Leo Gandelman, 14 Bis, Beto Guedes e a cantora Céu.

Programac-a-o-para-corpo-do-site

 

Comentários

comentários